terça-feira, 24 de março de 2009

"O Império dos Pardais" - João Paulo Oliveira e Costa

Sinopse:

" Um romance histórico que tem como pano de fundo a afirmação do Império Português, o império dos pardais, durante o reinado de D. Manuel I e se centra em torno de cinco personagens principais que se movem dentro da lógica do mundo da espionagem. A personagem central é uma espia excepcional que pensa abandonar uma vida dedicada à violência e à satisfação de instintos primários, em que fora forçada a entrar, para recuperar uma vida social normal ao lado de um artista talentoso, apaixonado e ingénuo. A sua luta interior (contra hábitos sedimentados por quinze anos de isolamento, de rancor, de secretismo e de memórias perturbadoras) e o seu esforço para se libertar dos seus antigos mandantes percorrem toda a narrativa. A vida desta mulher cruza-se com a de dois supostos responsáveis pelos serviços secretos de D. Manuel I e amigos pessoais do rei. Ao acompanhar os encontros e desencontros, o leitor vive as cores, os aromas e os quotidianos de um tempo extraordinário em várias cidades e portos por onde vão passando e vivendo as personagens deste romance, que homenageia um povo e um rei."


Gostei muito deste livro. Comecei por considerar muito bem conseguida a relação do Império Português com o título: O Império dos Pardais. Tal como os pardais, também os portugueses foram conquistando terreno à custa das sobras dos pássaros de maior porte e daquilo que não lhes interessava. Tal como os pardais, os portugueses não se envolveram em guerras com gaivotas ou outras aves (Alemanha, França, Inglaterra), beneficiando antes da sua discrição, aproveitando as oportunidades.

Um romance histórico, passado no reinado de D. Manuel I, onde ficamos a conhecer um pouco mais da nossa história, através de uma realidade, mais ou menos ficcionada.

A acção começa e termina no Rossio, onde os pardais sobrevivem. Ao longo da história ficamos a conhecer uma Lisboa de outrora, tão diferente da actual, mas onde se reconhecem ruas e edifícios, e onde o rio tem um papel primordial para o desenvolvimento do país e da cidade.
Num misto de espionagem e política, as conquistas da Índia e do Brasil vão-se desenrolando, levando o leitor numa viagem além mar, partilhando guerras e tréguas, paixões e assassínios, encantos e desencantos, vida e morte.

Ao longo de toda a narrativa destaca-se a amizade que une D. Manuel I e Miguel de Castro, nobre seu amigo e que, em conjunto com outras personagens, tal como Violante, assumem o comando dos "serviços "de espionagem do rei.

Destaca-se também em toda a história, o papel das mulheres. Na verdade, são elas que dominam a narrativa, mesmo quando assumem um papel mais discreto, pois cabe a elas grande parte da acção e de influência e motivo de muitas outras acções.

Um livro brilhante que recomendo sem reservas.

3 comentários:

Maria Manuel disse...

Tenho este livro na minha estante há algum tempo, mas ainda não o consegui ler. Foi um livro que desde o início achei interessante, muito embora ainda não o tenha colocado para as minhas próximas leituras e não sei porquê. Pelo teu comentário paraceu-me bastante interessante para o ler numas próximas leituras.

Homem do Leme disse...

Maria Manuel,
acredita que vale mesmo a pena.

Anónimo disse...

Império dos Pardais é realmente uma escolha bastante acertada para quem gosta de romance e de história como eu.
Mais, tive a sorte de ser aluna do autor, muito bom professor

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin