domingo, 26 de julho de 2009

"Pecados na Noite" - Tami Hoag

SINOPSE:

"Numa pequena cidade do Minesotta, onde as pessoas conhecem os vizinhos e o crime só ocorre no noticiário, desaparece uma criança. A única coisa que a Polícia encontra é um saco de ginástica com um bilhete: «Ignorância não é inocência, mas PECADO»... Existem medos que escondemos no nosso íntimo, onde o mundo real não deveria chegar. À noite, estes medos podem levar-nos a cometer os pecados mais horrendos. Tami Hoag conhece estes segredos e fez com eles um thriller que somos incapazes de abandonar antes do fim."

Mais um brilhante livro desta Senhora do crime. Tami Hoag descreve as personagens com uma intensidade e realismo que é impossível não nos vermos envolvidos emocionalmente com elas, odiar os assassinos, empatizar com os polícias e sentir o medo e a dor das vítimas.

Josh Kirkwood é raptado enquanto espera que a mãe o vá buscar ao rinque de patinagem. Enquanto Josh espera, a mãe, Hannah, médica e directora do serviço de urgências do Hospital local, está a tentar salvar uma vítima de paragem cardíaca que acabará por lhe morrer nas mãos. Josh, perante o atraso da mãe, telefona para o escritório de contabilidade do pai a pedir que o vá buscar. Mas Paul não ouve o telefonea do filho; não está na sua sala...

Enquanto toda a comunidade se envolve nas buscas do pequeno Josh, vamos conhecendo os segredos de alguns, os medos de outros...

Mitch Holt, chefe do departamento da Polícia, recebe pela primeira vez uma mulher na sua equipa - Megan O'Malley, uma agente do BCA, a primeira mulher com trabalho no terreno. Megan é impulsiva, decidida, e obstinada e sabe que não pode falhar na sua missão. É uma mulher num território de homens. Vive sózinha com os seus dois gatos. A relação com o pai, também polícia, é complicada; com o irmão ainda mais complicada é, e com a mãe... bem, com a mãe não existe relação desde que esta abandonou a família era Megan ainda criança.

Mitch Holt tem uma filha pequena e vive dilacerado pela culpa da morte da mulher e do filho. Viúvo há dois anos, ainda usa a aliança, como se fosse a expiação da culpa que sente.

Durante a investigação Mitch e Megan envolvem-se numa relação que ambos querem sem compromissos, mas que os vai fazer viver os seus medos e desejos, lutando com os fantasmas que os atormentam.

O raptor enceta um jogo com as forças policiais, denunciando uma mente perversa. Simultaneamente, enquanto as buscas não produzem resultados, a comunidade de Deer Lake conhece uma realidade que até aí era negada: o contínuo do ringue de patinagem tem um passado de pedofilia, o ajudante do padre encobre um crime horrendo, Paul Kirkwood carrega uma culpa que só ele conhece...

Uma brilhante teia de vidas, que Tami Hoag vai desfazendo com mestria e personagens tão fascinantes que nos é difícil esquecer, mesmo depois de acabar a leitura.

O final fica em aberto, pois esta história não acaba neste livro, continuando em "A Mão do Pecado".

Recomendo vivamente!

2 comentários:

Miar à chuva disse...

Xii... eu tenho alguns da Tami Hoag, mas pensava que se podiam ler separadamente.
Tenho de ver isso.
Obrigada pela opinião e pelo aviso!
Bjinhos e boas leituras,
Sandra do blog Vidas Desfolhadas

Homem do Leme disse...

Olá Sandra,

são apenas estes dois que se completam, os outros podem ser lidos em separado.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin