segunda-feira, 14 de setembro de 2009

"L. Ville" - Fernando Sobral

Sinopse:

"Onde acaba uma Lisboa e começa outra, só os grandes anúncios publicitários transmitem a ideia de uma cidade feliz. E o detective Manuel da Rosa sabe isso. A sua rotina de viagens nocturnas pela cidade termina quando um comerciante de arte, Ernesto Ávila, aparece morto. Enquanto vai descobrindo uma Lisboa de aromas e culturas diferentes, o detective vai também conhecendo melhor o misterioso passado do morto, um homem que não gostava de ser conhecido. O que o leva a recordar-se de um tempo em que ele próprio tentava esquecer a sua identidade. E a pensar na sua relação com Ana Moreno. Tudo se complica com a chegada de uma personagem fascinante e enigmática, Susana Wong. Ela pode ser a explicação de tudo. Até da razão porque é cada vez mais difícil saber onde está a verdade e onde está a mentira."

Este livro chamou-me à atenção pela capa. Fora do habitual para um autor português. Mas a verdade é que as capas dos livros da Quetzal são mesmo assim, diferentes, chamativas, bonitas.

A história é fantástica. Um polícia que procura descobrir um assassino. E agora pensam vocês: o que é que isto tem de fantástico? É mais um policial típico.. Mas não, não é o policial típico, nem o habitual dos bons contra os maus. É uma história que nos surpreende, precisamente porque não há bons nem maus. Todos têm os dois lados de uma existência assente na sobrevivência.

É um livro surpreendente, quer pela estrutura da narrativa, quer pelas personagens que se vão revelando.

Num tom de balada, Fernando Sobral conta-nos as histórias da noite de uma Lisboa bem real, mas nem sempre conhecida, onde os aromas do Oriente se misturam com as músicas africanas, onde armas, droga, caril e música co-habitam tendo como fundo os grafitis daqueles que desejam ser anónimos na sua manifestação.

Gostei !

2 comentários:

anaaaatchim! disse...

Bem... a capa é mesmo fantástica!! E tenho curiosidade em ler um bom livro policial portugês... acho que vou por este na minha wishlist! (e eu que ando a tentar cortá-la... assim é difícil!!)

Homem do Leme disse...

anaaaatchim,

é um bom livro. Mas também podes colocar na tua lista qualquer um do Carlos Ademar. São fantásticos, em especial o "Memórias de um assassino romântico".

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin