sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

"O Homem de Sampetersburgo" - Ken Follett



Tìtulo: O Homem de Sampetersburgo
Autor: Ken Follett
Tradutor: Maria Adelaide Namorado Freire
Editora: Círculo de Leitores
Edição: 2009
Páginas: 351


Sinopse:

"O seu nome era Feliks e foi para Londres com o intuito de cometer um crime que haveria de mudar o curso da História. Eram muitas as armas que este mestre da manipulação tinha nas suas mãos, mas as mais perigosas eram o amor de uma mulher inocente e a paixão insaciável de outra. Contra si ergueram-se as forças policiais britânicas, um lorde abastado e influente e o jovem Winston Churchil. Qualquer homem
teria sido detido, mas não o homem de Sampetersburgo..."


Opinião:

Brilhante. Fantástico. Esplêndido. Maravilhoso. Uma obra-prima!
Adorei este livro que me fez lembrar os clássicos russos, quer pela história quer pelo brilhantismo da escrita. Durante a leitura não me saiu da memória Anna Karenine de Tolstoi, romance ao qual este se assemelha, sendo no entanto bem diferente.
Lydia, uma jovem aristocrata russa apaixona-se por Feliks, um jovem anarquista, mas a sua paixão é descoberta e o pai da rapariga enreda uma forma de os afastar de forma definitiva e drástica. Manda prender Feliks e torturá-lo enquanto que a Lydia lhe dá a oportunidade de se casar com um lorde inglês e ir viver para Inglaterra a troco da libertação do seu amado. Lydia aceita e assim se vê casada com um homem que não ama nem conhece. Ao longo de 17 anos de casamento aprende a amar o marido, a respeitá-lo e a reprimir os seus desejos e memórias. Mas a sua filha Charlotte, prestes a fazer 18 anos desafia as suas memórias há muito recalcadas.
O Mundo, e em especial a Europa, atravessam um período difícil e o príncipe Orlov desloca-se da Rússia para Inglaterra a fim de negociar um acordo político entre as duas nações. Orlov, primo de Lydia, traz consigo um destino que desconhece: um assassino viaja também da Rússia para Inglaterra, com a missão de matar Orlov.
Quem é este assassino que persegue Orlov, mas que se vê ele próprio perseguido por um passado que julgava esquecido? Poderá um homem frio, calculista, preparado para matar sem remorsos ser atormentado por fantasmas de um amor há muito perdido?
Uma leitura fantástica, ao nível dos grandes clássicos. Recomendo a sua leitura sem qualquer reserva.


Prós:
A escrita brilhante. A história maravilhosa. As descrições da vida no início do século. A forma como dá a conhecer a história das sufragistas e da sua luta. O contexto histórico em que se desenvolve a narrativa. Enfim, tudo!


Contras:
Como contra apenas se podem referir alguns erros ortográficos, que são erro da edição e não da obra.

9 comentários:

t i a g o disse...

De Ken Follet só li os Pilares da Terra - e é um dos livros da minha vida. No entanto, não sei porquê, nunca senti muita vontade de pegar num novo livro dele; talvez por medo de me decepcionar?... A tua opinião intrigou-me.

Já agora, li o teu outro post, e espero que as coisas melhorem rapidamente *

Bom fim de semana, dentro dos possíveis. :)

Margarida Fernandes disse...

Ofereci este livro a um amigo.
Fiquei com muita vontade de o ler porque me pareceu bastante interessante.

Como várias pessoas me falaram tão bem desta obra (incluindo agora a sua opinião)já sei qual vai ser a minha próxima "aquisição literária"...

Bom fim-de-semana e boas leituras


Aproveito, também, para lhe desejar as melhoras.

PallasAthena disse...

Ola. Tenho os Pilares da Terra, leitura que iniciarei no próximo mês, que integra o meu desafio pessoal para este ano. Dps de ler a tua opinião fiquei muito muito curiosa quanto ao Homem de Sampetersburgo, mas terá de aguardar pois tenho imensos livros por ler :D
P.S. Bem vinda de volta!

Homem do Leme disse...

Tiago,
este foi o primeiro livro de Ken Follett que li, mas também tenho receio de o voltar a ler - o brilhantismo desta obra pode não se repertir.
Obrigada pelos teus votos.

Margarida,
é uma excelente leitura, sem dúvida.
Obrigada pelos votos de melhoras.

PallasAthena,
Obrigada.
Como eu te compreendo. Também tenho muitos livros para ler e também tenho de conter as compras :)

marcia disse...

Li dois livros de Ken Follet e adorei, tenho este na estante há uns meses...a tua opinião deu-me mesmo vontade de lhe pegar!

Ana C. Nunes disse...

Já ouvi falar muito do autor, mas ainda não li nenhuma obra dele.
Agora, com a tua opinião, só fiquei ainda mais curiosa.

flicka disse...

A tua opinião está soberba, este é certamente um dos livros que irei ler, pois li um deste autor e adorei: "Nome de Código - Leoparda"! Até tenho o seu autografo que consegui na feira do livro em 2009! ;-)
http://millivrosumsonho.blogspot.com/
Bjinhos :)*

Anónimo disse...

Do Ken Follett para já ainda só li "A ameaça" e foi dos livros que mais gostei até à data! Para já tenho na minha mesinha de cabeceira mais dois livros dele: O vale dos cinco leões e este O homem de Sampetersburgo. Pelo que já li de ambos, são excelentes livros, mas acho que vou começar pelo Homem de Sampetersburgo, porque fiquei bastante curioso depois de tantos elogios!

Paulo GR disse...

Erros e gralhas ortográficas (alguns) e termos brasileiros como ónibus o que ainda é mais inadmissível.
Àparte isso; excelente

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin