domingo, 14 de fevereiro de 2010

"Deambulações Fantásticas" - Hermann Hesse

Titulo: Deambulações Fantásticas
Autor: Hermann Hesse
Tradutor: Paulo Rêgo
Editora: Difel
Edição: Junho 2003
Páginas: 105

Sinopse:
"Johannes, o compositor, lamenta a tragédia dos maus tratos sofridos pela língua. O narrador ensaia uma exposição sumária da sua vida, donde ressalta a obsessão acalentada desde tenra idade de se tornar escritor.
Edmind explora os significados ocultos dos tantras indianos, defendendo posições distintas das do seu professor. São fornecidas, em tom de paródia, algumas achegas para a história cultural da Suábia natal de Hesse.
Por fim, algo mais acerca do Lobo das Estepes.
Cinco deambulações, sempre fantásticas."

Opinião:
Tinha este livro já há alguns anos na prateleira. Esta semana decidi lê-lo. Confirma-se o que já sabia: contos não são, de todo, o meu estilo.

Este livro é composto por cinco curtos contos, que terminam de uma forma fantástica ou irreal. Não vou falar dos contos, pois isso implicaria contá-los, mas considero-os engraçados, em especial o primeiro e o último.

O que mais me cativou foi a escrita de Hermann Hesse, que já conhecia da sua brilhante obra "Siddartha" - uma escrita brilhante, muito bem cobstruída, nem sempre fácil, mas de uma beleza única.

Prós:
A escrita maravilhosa.

Contras:
Nada a assinalar.

1 comentário:

t i a g o disse...

Li há uns tempos um livro de contos de Teolinda Gersão, que se baseava no mesmo conceito - os contos começavam no mundo quotidiano, mas iam-se transformando ao longo as páginas em cenários surreais e situações fantásticas! Foi uma boa experiência. O título era (ainda é!) «A mulher que prendeu a chuva».

Bom Carnaval!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin