terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

O reencontro de amigos

Ontem foi uma noite muito, muito divertida. Finalmente, ao fim de 18 anos (pois é pessoal, de 1990 a 2008 são 18!), reencontrei dois dos meus amigos de adolescência: o meu mano - Nuno - e a Mafy.

Era para sermos mais, mas por imperativos da vida laboral, os outros não poderam aparecer. Mas a este trio maravilha, juntou-se a sonialx, que apesar de não ser amiga de adolescência, já o é há tempo e maluqueiras suficientes para ser aceite no círculo.

Após um passeio pelo Parque das Nações, lá nos dirigimos para a baixa lisboeta, de metro, a fim de jantarmos no restaurante onde já estava mesa reservada para nós. E, a aventura da noite começou mesmo na estação de metro do Oriente, onde foi tarefa árdua retirar um dos bilhetes - pensámos levar a máquina e dizer ao revisor que o bilhete se encontrava no seu interior, mas só tinhamos reservado mesa para 4 - onde deixar a máquina durante o jantar? Pois, era melhor tirar o bilhete na máquina ao lado e seguir viagem.

E assim, foi. Durante a viagem, a Mafy foi perdendo os sapatos, ou melhor tentando perdê-los, o que não aconteceu graças à nossa pronta intervenção. Quem não se safou foi o senhor que, inadvertidamente se colocou atrás da Mafy (o que é sempre um local perigoso), pois com os solavancos da carruagem esta teve de proceder a ajustes de equilíbrio, encontrando-o precisamente em cima dos pés do dito passageiro. Coitado, apesar da Mafy, muito prontamente, ter proferido um tímido "desculpe", lá ficou ele com o lábio inferior a tremer.. de dores.

Chegados à baixa, encontrámo-nos com a sonialx e, após as apresentações da praxe feitas, lá nos dirigimos para a Rua do Salitre, onde íamos jantar no restaurante Os Tibetanos. Entre conversa, risos e lembranças de tempos passados, chegámos ao restaurante, após revigorante caminhada que abriu o apetite aos animados caminhantes.

O jantar foi bem animado, e ficámos a saber que a Mafy gosta de sair de autocarros em andamento, fazendo um ataque ao solo, não com os pés (como fariam os comuns dos mortais), mas aterrando de joelhos no meio da estrada (tão sossegada que ela era e agora faz desportos radicais utilizando os transportes públicos!!!).

Relembrámos bons momentos, professores adoráveis e outros nem tanto, colegas, e situações hilariantes. Rimos a bom rir, demos boas gargalhadas, partilhámos recordações de momentos partilhados, e até cantámos o D'Artacão, o nosso verdadeiro herói!!!

Depois do jantar fomos ao Hard Rock tomar café, e a boa disposição manteve-se, relembrando músicas e bandas da nossa adolescência, vivida tão intensamente, que só poderia mesmo resultar numa amizade assim!!!

Enfim, concluímos que somos todos diferentes uns dos outros e que é essa diferença que nos une e faz com que, tantos anos depois, continuamos a ter aquela cumplicidade que faz as amizades únicas, especiais.

Eu sempre disse que a amizade não se agradece, mas a todos vós obrigado por existirem e fazerem parte da minha vida. Sem vocês eu não era a pessoa que sou hoje -disso podem ter a certeza.

Temos de fazer encontros destes mais vezes!!!

Esta música é para vós!




So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters

Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I don't just say
And nothing else matters

Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters

Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know

So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters

Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know

Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I don't just say
And nothing else matters

Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters

Never cared for things they say
Never cared for games they play
I never cared for what they do
I never cared for what they know
And I know

So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
No nothing else matters

3 comentários:

kiduchinha disse...

Pela minha parte amiga, obrigada pelo teu texto!! Adorei a companhia do jantar, ri-me imenso, diverti-me e, curiosamente, até parecia que também tinha feito parte do vosso grupo na adolescência, que também tinha vivido todas as peripécias que contaram... e eu q fui uma adolescente tão pacata ihih... agora... estou como diz a minha mãe, "quanto mais velha pior"... :))
E gosto imenso desta música! Obrigada!
Beijocas aos 3

Mafy disse...

Amiga do coração,
ainda bem que mais ninguém (para além de vocês os 3) sabe que a Mafy sou eu, ou ainda me impediam de andar nos transportes públicos.
Até já estou a ver tipo nos fimes de policiais a minha foto nas paragens de autocarro e estações de Metro a dizer: Não deixar entrar!LOL
Foi a melhor noite que tive há imenso tempo.
Obrigado
Beijos gigantes (como diria o nosso amigo Nuno).

mariano disse...

fazer parte da vida de amigos assim...é de longe uma das coisas que mais faz crescer o ser humano que sou...fazer parte da vida de amigos assim é sem duvida ter uma vida rica de momentos especiais...espeçiais como voces amigas do coração adoro-vos espero sempre nunca vos desiludir...adoro-vos do fundo da alma e do fundo do corãção...bem vinda de novo a vida deste vosso amigo...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin